10 de julho de 2018 às 11:43

WhatsApp publica anúncio em jornais na Índia contra boatos e linchamentos

A plataforma de mensagens WhatsApp, do Facebook, publicou anúncios nesta terça-feira em importantes jornais da índia para enfrentar a disseminação de desinformações, em seu primeiro esforço do tipo para combater uma enxurrada de mensagens falsas que insti

Crédito:Getty Images

Getty Images

País tem mais de 200 milhões de usuários do app de mensagens

A plataforma de mensagens WhatsApp, do Facebook, publicou anúncios nesta terça-feira em importantes jornais da Índia para enfrentar a disseminação de desinformações, em seu primeiro esforço do tipo para combater uma enxurrada de mensagens falsas que instigaram linchamentos.

Espancamentos e mortes incitadas por mensagens falsas na Índia, maior mercado do WhatsApp com mais de 200 milhões de usuários, causaram um pesadelo de relações públicas, levando autoridades a pedirem uma ação imediata.

VEJA TAMBÉM

"Juntos nós podemos combater informação falsa", diz o anúncio de página inteira em alguns grandes jornais de língua inglesa, parte da série que também vai ser publicada em jornais em idiomas regionais.

A empresa pede que usuários chequem as informações antes de compartilhá-las e que tenham cautela para evitar a disseminação de notícias falsas.

"Question information that upsets you", says WhatsApp's full-page advertisements. Clearly the solution to declining newspaper ad revenues in India will come from how we tackle our digital fake news crisis. pic.twitter.com/

3h5XyJeMIr

"Nós estamos começando uma campanha educativa na Índia sobre como identificar notícias falsas e rumores", disse um porta-voz do WhatsApp em comunicado.

"Nosso primeiro passo é colocar anúncios em jornais em inglês e hindi e diversos outros idiomas. Nós vamos avançar esses esforços."

Anteriormente, o WhatsApp havia dito que estava aprimorando recursos e dando aos usuários controles, em seu esforço para conter mensagens falsas.

O WhatsApp também está testando rotular mensagens para mostrar a usuários quando uma mensagem recebida foi apenas encaminhada e não criada por quem a enviou.

A propaganda vem uma semana depois do WhatsApp ser advertido pelo governo indiano, preocupado com os casos de linchamento ocorridos no país. Por meio do ministério de Eletrônica, o país cobrou medidas corretivas "imediatas" para evitar a proliferação de mensagens falsas.

Fonte: Reuters

comentários

| Rádio Califórnia 89,1 FM'); }
Estúdio Ao Vivo